top of page

Black Flag Detona Carioca Club em São Paulo



No dia 27 de novembro, os amantes do punk rock de São Paulo tiveram a honra de presenciar um show inesquecível do icônico Black Flag no Club Carioca. A noite prometia ser explosiva e, sem dúvidas, não decepcionou em nenhum momento. Cheguei ao local faltando apenas 20 minutos para a banda de abertura começar, e a movimentação nos bares próximos ao Carioca Club já indicava que algo grande estava por vir. Ao entrar, percebi que a casa ainda estava vazia, então decidi me posicionar na frente do palco para conseguir algumas fotos mais próximas das bandas, já que não havia um local exclusivo para fotógrafos.



Poucos minutos após as 20h, os Garotos Podres subiram ao palco e, em um piscar de olhos, a casa estava lotada. A plateia estava claramente empolgada e não demorou muito para as famosas rodinhas começarem a se formar. Com clássicos como “Garoto Podre”, “Subúrbio Operário”, “Anarquia Oi!” e “Papai Noel Velho Batuta” na setlist, a banda agitou o público. A formação atual conta com Alberto Rinaldi (Deedy) na guitarra, Uel no baixo, Tony Karpa na bateria e o lendário vocalista Mao. Com seu punk direto e letras políticas, eles deixaram uma forte impressão. O clima estava tão intenso que acabei me envolvendo na agitação do público ali na frente. A plateia estava claramente empolgada e ansiosa pelo que estava por vir.





Por volta das 21h, começou a movimentação por trás da cortina, indicando a entrada

do Black Flag. As cortinas se abriram e a banda já estava pronta, exalando energia. A formação atual, liderada por Mike Vallely nos vocais, entregou uma performance cheia de raiva e paixão, lembrando a atitude crua que tornou o Black Flag uma lenda do punk. Tocando o álbum “My War”, Mike não interagiu muito com o público, mas isso não diminuiu o impacto do show. Houve alguns “stage diving” tímidos no início e algumas rodinhas durante a apresentação.



A banda fez uma pausa de 10 minutos, e nesse intervalo o baixista Harley Duggan foi até a frente do palco interagir com o público, o que aproveitei para pedir uma palheta. Após a pausa, decidi curtir o show um pouco mais distante, já que estava colada no palco desde que cheguei. Foi uma decisão sábia, pois os ânimos ficaram um pouco tensos logo na primeira música do segundo tempo.


A música foi interrompida três vezes: na primeira, o microfone não estava conectado, então a música começou sem o vocal; na segunda, uma pessoa subiu ao palco para fazer “stage diving” e acabou se machucando ao cair no chão. Mike interrompeu o show e fez alguns alertas, pedindo para que a plateia não fizesse isso, pois poderiam se ferir gravemente. Na terceira vez, outra pessoa subiu ao palco, mas apenas passeou ao redor dos membros da banda, curtindo o som. Mike não pareceu gostar e acabou empurrando-o do palco, interrompendo novamente a música e pedindo para os seguranças retirarem o indivíduo da casa. Depois disso, ninguém mais arriscou subir ao palco e se limitaram a mosh na pista. Greg Ginn, o lendário guitarrista, mais uma vez demonstrou sua maestria com riffs abrasivos e solos furiosos.



O setlist foi uma verdadeira viagem pela história da banda, com clássicos como “Gimmie Gimmie Gimmie”, “Six Pack” e “TV Party”. E para fechar com chave de ouro, eles arrasaram com o cover de Richard Berry, “Louie Louie”. A performance foi simplesmente impecável, relembrando a lenda que é o Black Flag e mantendo a essência do punk rock viva. A produção do show foi básica, mas isso só ressaltou ainda mais a autenticidade da banda. Nada de truques ou firulas, apenas o punk rock puro e cru. A iluminação estava perfeita e o som estava equilibrado, permitindo que a fúria da banda atingisse em cheio o público. Foi uma noite que nos lembrou que o Black Flag continua sendo uma força indomável no mundo do punk, mantendo a essência do gênero com muito orgulho. Os fãs de punk rock de São Paulo tiveram a sorte de presenciar uma apresentação memorável que só reforçou o lugar especial que essa lendária banda ocupa no coração dos amantes do punk.

 


Setlist Garotos Podres

1. Garoto Podre 2. Oi, tudo bem? 3. Johnny 4. Rock de Subúrbio 5. Subúrbio Operário6. Avante Camarada 7. Antifa Hooligans (Los Fastidios cover) 8. A Internacional9. Aos Fuzilados da C.S.N. 10. Anarquia Oi! 11. Papai Noel Velho Batuta 12. Vou fazer Cocô

Setlist Black Flag

My War 1. My War 2. Can´t Decide 3. Beat My Head Against The Wall 4. I Love You5. Forever Time 6. The Swinging Man 7. Nothing Left Inside 8. Three Nights 9. Scream

Greatest Hits 10. Nervous Breakdown 11. Fix Me 12. I´ve Had It 13. Wasted 14. Jealous Again 15. No Values 16. Black Coffe 17. Gimmie Gimmie Gimmie 18. Six Pack 19. Depression 20. In My Head 21. Room 13 22. Revenge 23. TV Party 24. Rise Above 25. Louie Louie (Richard Berry cover) Fotos e texto: Ellen Artie

Realização: @agendiapowerline

Comments


bottom of page